quinta-feira, 15 de abril de 2010

REFERÊNCIAS ELOGIOSAS A OFICIAL AO CAPITÃO JOÃO BATISTA FEITAS PELAS NAÇÕES UNIDAS -

  • “Venho através do presente e face conduta irrepreensível do Capitão PM João Batista do Nascimento, natural de Natal, nascido a 8 de março de 1962, filho de Zenon Candido do Nascimento e de Cecília Franco de Oliveira, havia ingressado na Polícia Militar Potiguar no dia 22 de março de 1984, na condição de aluno sargento, com o número 84.023, RG nº 7396, dessa gloriosa e amada Polícia Militar, e em reconhecimento ao excelente trabalho desenvolvido pelo mesmo ao longo de quase dois anos junto à Missão de Observação das Nações Unidas em Angola (MONUA), este Senhor não poderia deixar de considerar os fatos vivenciados pelo mesmo, e que vieram somar no Processo de Paz angolano, enaltecendo o Estado do Rio Grande do Norte e o Brasil. Durante a missão o Capitão PM Batista, prestou serviços nas bases das Nações Unidas em Lumege, Onjiva e Quibala, tendo sido Comandante nas duas últimas, bem como, no Quartel Regional da MONUA em Saurimo. Em todas essas localidades participou de patrulhas, investigações, observações via terrestre ou aérea, colhendo dados necessários, a fim de informar ao Comando Regional o que se desenvolvia no terreno, em relação aos trabalhos realizados pelas partes envolvidas no processo de paz, sendo, por vezes, o seu trabalho, multiplicado, tendo em vista ser falante da língua portuguesa e, por isso, era chamado a traduzir para a língua inglesa durante as patrulhas para que os seus companheiros de outras nacionalidades pudessem estar a par do que estava sendo discutido. Provocou e participou de várias reuniões entre os representantes do Governo Angolano e da UNITA (União para a Independência Total de Angola), intermediando conflitos, sempre agindo de forma diplomática, gozando de prestígio entre as partes, face à lisura com que se conduzia os trabalhos, alcançando bons resultados para o processo de paz. O Capitão PM Batista ainda desempenhou as funções de Oficial de Ligação das Nações Unidas junto à Polícia Nacional Angolana, de Oficial de Pessoal dos observadores policiais na Regional de Saurimo, de Supervisor de Segurança de Área em um dos complexos onde moravam observadores e staff das Nações Unidas na cidade de Saurimo. Exerceu, também, o Capitão PM Batista, as atividades de PTO (Police Travel Officer – Seção de Passaportes), em Luanda, quando substituiu temporariamente um outro companheiro brasileiro, sendo essa seção de grande responsabilidade, pois o seu titular é responsável junto ao Ministério das Relações Exteriores de Angola e às Embaixadas das outras Nações na área da missão, pela documentação que possibilite livre trânsito aos observadores nos países onde necessitem permanecer temporariamente. Por onde passou sempre conviveu com o perigo, haja vista as várias emboscadas praticadas por grupos armados, e que, invariavelmente, resultam em mortos e feridos, bem como as péssimas condições das estradas, muitas delas consideradas de alto risco devido a existência de minas. O Capitão PM BATISTA nunca se acovardou, cumprindo suas missões com responsabilidades, visando sempre o sucesso do processo de paz. Diante de todas as missões impostas, demonstrou ser dotado de preparo e capacidade. O Capitão PM Batista se destacou pela sua performance nas localidades onde trabalhou, pelo seu profissionalismo, espírito de corpo, liderança, fidelidade e, acima de t6udo, sua abnegação no cumprimento do dever, sendo sempre elogiado pelos seus comandantes e comandados, devido a sua brilhante conduta. Face às virtudes do Capitão PM Batista, temos a convicção de que o mesmo não foi apenas mais um observador de paz nesta missão, mas sim, um policial com elevado sendo de responsabilidade, disciplina, amizade, lealdade, caráter irrepreensível e orgulho para todos. O Capitão PM Batista superou todos os obstáculos, ajudou a elevar ainda mais o nome do Brasil perante as Organizações Internacionais presentes em mais esse trabalho realizado pelas Nações Unidas, bem como, enalteceu o nome do Estado do Rio Grande do Norte diante do contingente brasileiro. Acompanhamos de perto a vida profissional do Capitão PM Batista durante os trabalhos aqui realizados e temos a certeza de que foram coroados de louros e pode o Capitão PM Batista ser considerado um baluarte da paz de humanidade. É com dever de justiça e em reconhecimento aos trabalhos realizados pelo Capitão PM João Batista do Nascimento nesta missão das Nações Unidas, que lhe concedo o presente elogio. INDIVIDUAL.” (Elogios formulados pelo Tenente Coronel Newton Roberson Maia PMES-Polícia Militar do Estado do Espírito Santos, Comandante do Contingente Policial Brasileiro na Missão de Paz da ONU em Angola e Encaminhado através do Ofício nº 009/99 – SCPB, datado de 28 janeiro de 1999 ).

Nenhum comentário:

Postar um comentário